One of the Few

One of the Few – Pink Floyd

A nossa música de hoje, One of the Few, é a menor música de um álbum pouco lembrado até por grandes fãs, The Final Cut.

O Pink Floyd contou, ao longo da sua história, com álbuns incríveis como The Wall e The Dark Side of the Moon.

Esse foi o último álbum da banda com a formação clássica, já sem Richard Wright. Lançado em 1983, ele foi idealizado e pensado pro Roger Waters como forma de homenagear Eric Fletcher, seu pai. Talvez por isso seja tão sombrio.

Pra muitos, então, o disco sequer pode ser considerado do Pink Floyd, sendo mais um prenúncio do que Roger Waters pretendia fazer na carreira solo. One of the Few entrou nesse álbum como a menor das músicas e, por isso, pode ser pouco conhecida.

Para saber mais sobre a música “Young Lust” clique AQUI

A música

Com apenas 1 minuto e 12 segundos, One of the Few, a música inicia com o toque da batida de um relógio. No curto espaço de tempo que se segue, ela conta a história do retorno de um veterano de guerra para casa.

Eric Fletcher, pai de Roger Waters, morreu na segunda guerra mundial. Sua ausência se demonstrou uma grande influência na vida do artista. Por isso mesmo, é comum vermos o tema nas letras produzidas por ele.

Canção rejeitada

Um dado interessante sobre One of the Few é que a canção, inicialmente, estava prevista para integrar o álbum The Wall. Na época, ela ainda contava com o título de “Teach”. Porém, após algumas reuniões, acabou-se decidindo que ela ficaria para depois.

Uma boa decisão da banda, pois a música talvez não se encaixa-se tão bem no álbum que se tornou uma verdadeira obra-prima.

Tristeza e desilusão

O tom sombrio que toma conta do último álbum do Pink Floyd não escapou de One of the Few. Praticamente o álbum todo é dedicado à reflexões de Waters sobre o pai, morto em combate e que nunca teve o prazer de conhecer.

O fato é que a repercussão que a guerra teve em sua vida fez de Waters o ativista que é hoje. Seu forte engajamento político e a sua luta contra o fascismo, inclusive Jair Bolsonaro, decorrem dessas memórias tristes que lembram a morte do pai.

O professor

Em One of the Few vemos um personagem que não gostaríamos de ver novamente. O professor, tão odiado de The Wall, surge aqui como um herói de guerra que conseguiu retornar ao convívio em sociedade.

Então, o sentimento de repulsa que ele tanto causava durante a trajetória de Pink é substituído agora por um sincero sentimento de reverência. Como herói o professor está presente ainda em mais 3 canções do álbum.

Na letra da canção, Waters usa os seguintes versos:

“Faça-os loucos, faça-os tristes, faça-os somar dois e dois
Torne-os eu, torne-os você, faça o que quiser com eles”

Por fim, a letra dramática de One of the Few faz com que qualquer fã da banda se lembre rapidamente dos acontecimentos das primeiras faixas do álbum The Wall, onde Pink precisa lidar com o professor, que age como um verdadeiro carrasco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.