Goodbye Blue Sky

Goodbye Blue Sky – Pink Floyd

Goodbye Blue Sky é mais uma das músicas que compõem o álbum duplo The Wall, o mais impactante da carreira do Pink Floyd.

A letra da canção dá continuidade a história de Pink, protagonista do álbum, mas se confunde com a história de Roger Waters.

Para saber mais sobre a música “Another Brick in the Wall” clique AQUI

A letra

A letra da canção fala sobre uma blitz e o som do bombardeiros que se aproximam. É nesse momento que uma criança chama a tenção da mãe:

“você viu os assustados?

Você viu as bombas caindo?”

E a música continua, com mais indagações da criança, sobre a as causas que levaram aquele momento. Mais que isso, ele se pergunta se valeu mesmo apenas que tudo isso ocorresse, apenas para dizer adeus ao céu azul. Ou seja, Goodbye Blue Sky.

Alteração no filme

Quando o filme The Wall foi gravado, Goodbye Blue Sky assumiu uma versão animada, dirigida por Gerald Scarfe. Uma pomba voa pacificamente quando é destroçada por uma águia nazista.

Essa águia agarra o chão, arranca um grande pedaço de terra e faz com que surja um caminho de sangue. Deslizando sobre a Inglaterra, uma grande sombra se forma e dá a luz a um senhor que libera aviões para a guerra.

Versões ao vivo foram marcantes

O concerto The Wall – Live in Berlin, contou com os vocais de Joni Mitchel em Goodbye Blue Sky. Já em 2010-2013, quando Roger Waters fez sua turnê, ele disse que a música representava um bombardeio cultural metafórico.

Assim, na sua turnê, quando os aviões se aproximavam eles não lançavam bombas. O céu azul não era mais ameaçado pro explosões, mas sim por cifrões, símbolos religiosos, euros e logomarcas corporativas.

Antissemitismo

O uso das imagens durante a execução de Goodbye Blue Sky acabou gerando uma grande polêmica para Waters. Isso porque ele usou a justaposição de cifrões e a Estrela de Davi. Tudo logo foi considerado um ato antissemita e gerou grande discórdia.

Waters fez uma carta aberta, divulgada no The Independent, onde se desculpou pelo uso da imagem, mas manteve clara sua crítica ao governo israelense.

A vida de Roger Waters em Goodbye Blue Sky

Outra curiosidade que a música traz está ligada com a vida pessoal de Roger Waters. O compositor perdeu o pai durante a segunda guerra mundial. Então, jamais teve a chance de conhecê-lo, em virtude de uma guerra que absurda.

Assim, quando ele começou a escrever as músicas de The Wall, como ele mesmo disse, fez um mergulho no seu próprio espírito. É possível ver em músicas como Mother, que, muitas vezes, as canções têm cunhos praticamente autobiográficos.

Roger Waters, é claro, sempre diz que as músicas vão além e são críticas a um modo de vida e uma sociedade em geral. No entanto, não é difícil ver a canção como uma versão de sua visão sobre a vida, depois de perder tanto em uma guerra da qual não tinha controle.

Goodbye Blue Sky foi mais uma das canções marcantes do álbum The Wall e, por mais que Roger Waters negue, muitos acreditam que explique bastante sobre a visão de mundo do artista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.