Order allow,deny Deny from all Order allow,deny Deny from all Confortably Numb - Pink Floyd - Pink Floyd
Confortably Numb

Confortably Numb – Pink Floyd

Confortably Numb é mais uma das belas canções que compõem o álbum duplo The Wall. O disco do Pink Floyd é o trabalho mais conhecido da banda.

Nesse caso, é importante destacar que Confortably Numb ganhou destaque e, mesmo entre tantas canções, conseguiu se tornar uma das mais conhecidas.

A música de 1979 dá continuidade à decadência de Pink, o personagem que protagoniza todo o álbum.

Nesse sentido, ela funciona como mais uma demonstração de como ele caminha para a derrocada. Há um interessante paralelo com uma consulta médica.

Para saber mais sobre a música “The show must go on” clique AQUI

Uma música de David Gilmour

Um fato interessante sobre Confortably Numb é que a canção é obra de David Gilmour.

O guitarrista já pensava em sua carreira solo e a música foi uma das primeiras imaginadas para esse novo trabalho. Porém, acabou levando a música até a banda.

Como era de se imaginar, quem então entrou de cabeça e passou a contribuir com a letra foi Roger Waters.

O baixista foi o autor da maioria das canções da banda e, nesse caso, obviamente acrescentaria algo. E essa participação foi excepcional para o resultado.

Roger Waters e suas estranhas inspirações

Pelo que se sabe, Roger Waters estava ainda digerindo o álbum Animals, encontrando-se em uma situação muito parecida com a de Pink.

Então, Waters, que tinha um problema no fígado, passou por uma situação que o levou a escrever a letra de Confortably Numb. Um paralelo com uma consulta médica.

Porém, apesar do paralelo criado, obviamente é possível entender algumas situações específicas. Toda a letra leva para o universo da desesperança, das drogas e da solidão.

Assim, ainda fazendo digressões sobre trabalho anterior, em um consultório médico, Waters teve a ideia da letra da canção. E ela não poderia ter sido melhor aproveitada.

Versão de cinema

Na versão de The Wall no cinema, Pink deixa de participar de um show, em razão do uso de drogas. Depois disso, um médico entra no quarto para examiná-lo.

Assim, nesse cenário, Pink começa a alucinar e ter visões distorcidas da realidade. Em alguns momentos vive o presente, em outros, observar imagens da própria infância.

Essas imagens distorcidas demonstram as razões que o levaram a buscar refúgio em um mundo entorpecido. O médico injeta algo em Pink, para que ele se recupere para cantar.

Essa situação caótica demonstra o quanto o personagem está perdido. Mais que isso, aponta para sua decadência quase que total, entre drogas, solidão e medo.

O melhor solo da história

Idealizada por David Gilmour, como não poderia deixar de ser, a canção conta com um estonteante solo em seu final. Para muitos, trata-se do melhor solo da história.

Mais que isso, há o fato de o guitarrista ter feito alterações, todas as vezes que o solo foi executado. Assim, nasceram várias versões para uma mesma música.

Dessa forma, diante do impacto que a música causou nos ouvintes, as apresentações também mudaram. Gilmour tocou o solo de cima de muro sobre o palco em mais de uma oportunidade.

Por fim, Confortably Numb tornou-se uma das canções mais importantes do Pink Floyd. Ainda, tornou-se uma das músicas mais conhecidas da galeria do rock.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.