Pink Floyd – Nicholas Berkeley Mason

Pink Floyd – Nicholas Berkeley Mason

23 de março de 2020 0 Por Carla Gomes
Nicholas Berkeley Mason tocando bateria

Nick Mason está atualmente com 76 anos

Enquanto alguns criavam polêmicas no Pink Floyd, outros foram bem mais discretos. Nicholas Berkeley Mason é um dos integrantes mais dedicados à banda, você sabia?!

Único a participar de todos os álbuns do grupo, Nicholas é mais conhecido como Nick Mason pelos fãs. Apesar de não ter o status de David Gilmour e Roger Waters, sem dúvida merece todo reconhecimento também.

E é sobre sua trajetória e importância na banda que vamos falar agora. Confira a seguir!

Entenda quem é Nicholas Berkeley Mason

Nick Mason tocando com o Pink Floyd

Nick é o único a fazer parte de todos os álbuns do Pink Floyd

Filho de uma família abastada, Nick Mason sempre frequentou escolas particulares em Londres. Nascido em 1944, ele conheceu Roger Waters e Rick Wright durante a faculdade. Foi quando os dois amigos o convidaram para fazer parte do seu grupo. Desde então, ele é considerado o único membro a permanecer no Pink Floyd desde sua formação, em 1965.

Questionado como foi o primeiro encontro com os colegas músicos, Nicholas Berkeley Mason revelou uma história engraçada. “Nós meio que nos conhecemos porque Roger sabia que eu tinha um carro (…) Quando ele perguntou se poderia emprestá-lo, eu disse: ‘Não’”, disse ele, explicando que era um carro velho e sem freios.

Apesar da negativa, foi o começo de um relacionamento não tão perturbado em relação aos demais integrantes. Nick e Rick Wright sempre se mostraram um pouco mais tranquilos em relação aos colegas. Além disso, sempre foi encarado como talentoso, porém, não genial. Dessa forma, embora represente muito do Pink Floyd, não se trata de uma figura lendária, no topo da lista de melhores bateristas.

Saiba como foi a trajetória do baterista no Pink Floyd

Nick Mason e Syd Barrett

Nick conheceu Syd Barrett na faculdade

Embora sempre tenha se limitado à bateria, Nicholas Berkeley Mason teve também seus breves momentos de vocal. Sua voz aparece em  “Corporal Clegg”, “One of These Days”, “Signs of Life” e “Learning to Fly”. Além disso, canta em duas faixas não lançadas oficialmente, “Scream Thy Last Scream” escrita por Syd Barrett e “The Merry Xmas Song”, de 1975. Durante os shows, ele era o responsável por fazer eventuais narrativas também.

Afora se arriscar nos vocais, Nick teve algumas breves incursões também como compositor. Ele é creditado em Time e Echoes, porém, sem nunca interferir muito em outros sucessos do Pink Floyd.

Apesar disso, Mason sempre se mostrou muito apaixonado e defensor da banda. Tanto que, quando questionado sobre continuar tocando suas músicas sem os companheiros, ele chegou a dizer que se sente feliz. Para ele, é uma alegria seguir com os sucessos do grupo sem precisar “obedecer” aos capitães originais.

Veja como era a relação de Nicholas Berkeley Mason com os demais integrantes

Nicholas Berkeley Mason, Roger Waters e David Gilmour

Nick sempre se deu bem com os colegas de banda

A personalidade mais tranquila de Nicholas Berkeley Mason permitiu desenvolver um relacionamento igualmente pacífico com os integrantes. No meio das brigas entre Roger Waters e David Gilmour, o baterista conseguiu manter suas amizades.

Abalado com a morte de Rick Wight, por exemplo, ele deu detalhes do começo da banda. Além de não ter emprestado o carro, Roger ainda ficou sem um cigarro, que Rick não quis emprestar. Nick era uma espécie de observador desses conflitos, sem nunca se envolver diretamente em um.

Mais recentemente, quando questionado sobre o que considerava ser o motivo da briga entre Roger e David, ele não mediu as palavras. “(…) considero que o problema é que Roger não respeita realmente o David. Ele acha que a composição é tudo, e que tocar guitarra e tocar é algo que, não vou dizer que todo mundo possa, mas que devia compôr deveria ser melhor considerado do que tocar”, afirmou ele, em 2019, quando perguntado sobre uma eventual reunião do Pink Floyd ter chances de acontecer.

Confira como anda a carreira de Nick Mason atualmente

Nick Mason e seu novo projeto

Nick Mason se reinventou e faz sucesso com o Sauceful of Secrets

Embora saiba que é difícil ver Waters e Gilmour juntos, Nicholas Berkeley Mason sempre acreditou em um encontro. Faz pouco tempo que o baterista desistiu de todas as suas esperanças. Ainda antes disso, porém, já investia em uma carreira solo.

Em 2018, os três álbuns de Nick Mason foram reunidos em uma coletânea. Nick Mason’s Fictitious Sports (1981), Profiles (1985) e White of the Eye (1987). No mesmo ano, o baterista criou o Saucerful of Secrets. Levando o mesmo nome do disco do Pink Floyd, o objetivo do projeto é relembrar as canções mais antigas do grupo.

Contando com Gary Kemp (Spandau Ballet) e Lee Harris nas guitarras, Guy Pratt no baixo e Dom Beken nos teclados, os shows foram um sucesso. Com as músicas de “The Piper at the Gates of Dawn” (1967) e “Obscured by Clouds” (1972), o projeto foi considerado um novo fôlego para o sucesso do Pink Floyd. Tanto que, em janeiro de 2020, foi anunciado o lançamento de CD duplo, DVD, LP duplo e Blu-Ray com registros da turnê.

Apesar de já estar com 76 anos, Nicholas Berkeley Mason (ou apenas Nick Mason) continua nos palcos com todo fôlego. Apesar de ter uma carreira menos celebrada do que seus dois companheiros mais famosos, o baterista se mantém relevante. E mesmo não sendo considerado brilhante, possui um talento que, sem dúvida, ajudou no sucesso do Pink Floyd.

Você tem um integrante favorito da banda? É comum que David Gilmour e Roger Waters sejam os mais admirados, você concorda que eles sejam a alma do grupo? Aproveite para deixar um comentário falando sobre suas impressões a respeito de seus membros!