Order allow,deny Deny from all Order allow,deny Deny from all Bring the boys back home - Pink Floyd - Pink Floyd
Bring the boys back home

Bring the boys back home – Pink Floyd

Bring the boys back home é uma das músicas que fazem parte do lado B do álbum The Wall, do Pink Floyd. Faixa posterior a Vera.

Enquanto a faixa anterior, Vera, termina e seus acordes decaem, é possível ouvir vários tambores de caixa tocando. Isso significa que Bring the boys back home está tendo início. Os tambores articulam uma marcha em tempo, como soldados que se aproximam.

Em Vera, o Pink Floyd mostrou toda a tristeza trazida pela desesperança. A ideia de que todos voltariam a se encontrar no futuro, depois de uma guerra, começava a parecer absurda. Em Bring the boys back home há um apelo para que voltem para casa.

Para saber mais sobre a música “Is there anybody out there?” clique AQUI

Não deixem Roger Waters sozinho

Como é de conhecimento comum, Roger Waters nunca chegou a conhecer seu pai. E na letra de Bring the boys back home é possível ver um pouco do seu desespero com a situação. Essa imagem se mistura com a de Pink, o personagem de The Wall.

Então, Roger inicia a canção com uns agudos estridentes. Ela vai evoluindo até que ele cante o verso “Traga os meninos para casa / não deixe os filhos sozinhos”. A dúvida então é saber se Roger Waters estava falando de si mesmo e de sua solidão sem o pai.

A canção que une tudo

Segundo Roger Waters, Bring the boys back home é a canção central em The Wall. O compositor afirma que ela é capaz de unificar todas as outras canções. Segundo ele, trata-se de uma ode às coisas importantes que temos em nossas vidas.

Em uma entrevista à BBC Rádio One, em 1979, ele afirmou que em parte tratava-se de uma canção sobre não enviar as pessoas para morrerem na guerra. Mas ele disse que ela também se aplicava a outras coisas.

Segundo Waters, poderia ser sobre não permitir que o rock and roll, carros ou qualquer outra coisa substituíssem o que ele considerava importante. Ou seja, não deixar que nada se tornasse mais importante que família, esposa, filhos e amigos.

Waters e o playback

Os shows da turnê The Wall eram tão meticulosamente produzidos, que o Pink Floyd saiu no prejuízo depois de uma boa parte deles. Por isso mesmo, a banda acabou optando por gravar os arranjos da orquestra de Michael Kamen e usar como playback.

O resultado disso é que a banda praticamente não tinha o que fazer durante as apresentações. Toda a melodia baseada em orquestras fez com que Roger Waters cantasse sozinho, apenas acompanhando o remix feito na gravação de estúdio.

Uma grande apresentação

Alguns anos depois Roger Waters fez um show solo com Bring the boys back home exatamente como queria. Então ele preparou uma apresentação no local onde o Muro de Berlin havia sido desmontado. Agora havia dinheiro para tanto.

E assim, em um concerto de caridade para o Memorial for Disaster Relief, ele usou o arranjo do filme e cantou estridentemente. Como apoio ele teve a Orquestra e Coro Rundfunk, a banda das forças armadas soviéticas na Alemanha.

O coro da música ficou por conta do Exército Vermelho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.